• PT
  • EN
  • King, Martin Luther

    King, Martin Luther

    Teólogo e ativista dos direitos civis, pela sua liderança no movimento de luta pela igualdade entre negros e brancos nos Estados Unidos da América, Martin Luther King Jr. tornou-se um símbolo para os negros americanos e uma figura mundial de grande inspiração no que respeita à defesa dos direitos humanos. Graças à sua ação, nos anos 60 do século XX a população afro-americana passou a poder frequentar parques públicos e bibliotecas, sentar-se nas filas da frente dos autocarros, e conseguiu também o direito ao voto. A Lei de Direitos Civis de 1964 e a Lei do Direito ao Voto de 1965, ambas promovidas pelo presidente democrata Lyndon B. Johnson, codificaram essas conquistas.

    Em 1964, com 35 anos de idade, em reconhecimento do seu contributo nesta luta, que Martin Luther King alicerçou na defesa do princípio de igualdade afirmado na Declaração de Independência dos Estados Unidos da América (1776), tornou-se o homem mais jovem a receber o Prémio Nobel da Paz. Entregou o dinheiro do prémio, no valor de 54.123 dólares, para a promoção do movimento dos direitos civis.

    É contemporâneo de Nelson Mandela (1918-2013), igualmente laureado com o Prémio Nobel da Paz, e cuja vida de resistência foi analogamente decisiva na luta contra o racismo.

     

    Alguns dados biográficos

    Nasceu Michael Luther King Jr., em 15 de janeiro de 1929, mas o seu primeiro nome foi mais tarde alterado para Martin. O seu avô e o seu pai, Martin Luther, foram pastores da Igreja Batista Ebenezer, em Atlanta.

    Martin Luther King Jr. frequentou escolas públicas segregadas na Geórgia, terminando o liceu com 15 anos de idade e obtendo o grau de bacharel em 1948, no Morehouse College, uma importante instituição negra de Atlanta.

    Após três anos no Seminário Teológico Crozer, na Pensilvânia, onde foi eleito presidente de uma turma de finalistas predominantemente branca, tornou-se bacharel em Teologia, em 1951. Com uma bolsa de estudos ganha em Crozer, inscreveu-se nos estudos de pós-graduação da Universidade de Boston, recebendo o diploma de doutoramento em 1955. Aí conheceu e casou com Coretta Scott, com quem teve dois filhos e duas filhas.

    Na noite de 4 de abril de 1968, já depois de vários direitos conquistados pela população negra e de lhe ter sido atribuído o Prémio Nobel da Paz, foi assassinado quando estava na varanda do seu quarto de motel em Memphis, Tennessee, onde ia liderar uma marcha de protesto em solidariedade para com os trabalhadores do lixo em greve nessa cidade.

     

    Ação pelos direitos da população afro-americana

    Em 1954, Martin Luther King Jr. tornou-se pastor da Igreja Batista da Avenida Dexter em Montgomery, Alabama. Como forte defensor dos direitos civis dos negros, era nessa altura membro do comité executivo da Associação Nacional para o Progresso das Pessoas de Cor, a principal organização do género no país. No decurso dessa participação, no início de dezembro de 1955, liderou a primeira grande manifestação negra não violenta da contemporaneidade nos Estados Unidos, que consistiu num boicote aos autocarros, que durou 382 dias. Em 21 de dezembro de 1956, depois de o Supremo Tribunal dos Estados Unidos ter declarado inconstitucionais as leis que obrigavam à segregação nos autocarros, negros e brancos passaram a viajar com os mesmos direitos. Durante estes dias de boicote, Martin Luther King foi preso, a sua casa foi bombardeada, foi sujeito a abusos pessoais, mas emergia como um líder negro de primeira linha.

    Em 1957, foi eleito presidente da Conferência de Liderança Cristã do Sul (Southern Christian Leadership Conference), que tinha como objetivo proporcionar uma nova liderança ao movimento dos direitos civis que estava a florescer. O seu ideário baseava-se no cristianismo e punha em prática as técnicas pacifistas de Gandhi.

    Entre 1957 e 1968, Martin Luther King viajou mais de 6 milhões de milhas e discursou mais de 125 mil vezes, marcando presença nos lugares em que houvesse injustiça e reivindicação. Liderou igualmente um protesto massivo em Birmingham, Alabama, que chamou a atenção do mundo inteiro, inspirando a escrita da sua “Carta de uma cadeia de Birmingham”, considerada um manifesto da revolução negra; planeou as campanhas no Alabama para o registo dos negros como eleitores; dirigiu a marcha pacífica sobre Washington, D.C., de 250.000 pessoas, a quem dirigiu o seu famoso discurso “I have a dream” (“Eu tenho um sonho”), em 28 de agosto de 1963. Foi preso mais de vinte vezes e agredido pelo menos quatro.

    Escreveu numerosos artigos e cinco livros, de que se destacam: Stride Toward Freedom. The Montgomery Story – The Classic Account of the Civil Rights Movement that Transformed a Nation e A Gift Of Love. Sermons From Strength To Love And Other Preachings.

     

    Excerto do discurso “Eu tenho um sonho” (1963)

    “Por isso, ainda que enfrentemos dificuldade hoje e amanhã, eu continuo a ter um sonho. Um sonho profundamente enraizado no sonho americano. Sonho que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado do seu credo: ‘Consideramos estas verdades como evidentes por si mesmas, que todos os homens são criados iguais’.

    Tenho o sonho de que um dia, nas colinas vermelhas da Geórgia, os filhos de antigos escravos e os filhos de antigos possuidores de escravos serão capazes de se sentar juntos à mesa da irmandade.

    Tenho o sonho de que um dia, mesmo o Estado do Mississippi, um Estado que arde sob o fogo da injustiça, que arde sob o fogo da opressão, se transformará num oásis de liberdade e justiça.

    Eu tenho o sonho de ver os meus quatro filhos viverem um dia numa nação onde não serão julgados pela cor da sua pele, mas sim pelo seu carácter. Eu tenho um sonho hoje”.

     

    Algumas mensagens de Martin Luther King

    – Aprendemos a voar como pássaros e a nadar como peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos.

    – O que vale não é o quanto se vive; mas como se vive.

    – A liberdade jamais é dada pelo opressor, ela tem de ser conquistada pelo oprimido.

    – O homem que não está disposto a morrer por uma causa não é digno de viver.

    – Sobe o primeiro degrau com fé. Não é necessário que vejas toda a escada. Dá só o primeiro passo.

    – A inteligência e o carácter são os objetivos da verdadeira educação.

    – O amor é a única força capaz de transformar um inimigo em amigo.

    – Eu tenho o sonho de que, um dia, meninos e meninas negros e brancos vão unir as mãos como irmãos.

    Bibliografia

    Impressa

    DEGNAN, M. L. & VEGARA, M. I. S. (2021). Martin Luther King Jr. Lisboa: Nuvem de Letras.

    SARRÓ, P. C. (2019). Martin Luther King. Barcelona: Shackleton Books.

     

    Digital

    A Declaração de Independência dos Estados Unidos da América, https://www.arqnet.pt/portal/teoria/declaracao_vport.html (acedido a 29.01.2024).

    “Martin Luther King Jr. Biographical”, https://www.nobelprize.org/prizes/peace/1964/king/biographical (acedido a 29.01.2024).

    “Read Martin Luther King Jr.’s ‘I Have a Dream’ Speech in Its Entirety”, https://www.npr.org/2010/01/18/122701268/i-have-a-dream-speech-in-its-entirety (acedido a 29.01.2024).

     

    Autores

    Escola Básica com Pré-escolar Dr. Eduardo Brazão de Castro – Lombo Segundo, Funchal (ano letivo 2022-2023).

    Escrito por -

    Descricao

    Voltar ao topo
    a

    Display your work in a bold & confident manner. Sometimes it’s easy for your creativity to stand out from the crowd.